Exercício supervisionado tem uma ampla variedade de benefícios para pacientes com hipertensão pulmonar

O exercício físico tem uma ampla gama de benefícios para os pacientes com hipertensão pulmonar (HAP), uma vez que melhora a capacidade física e a qualidade de vida, entre outras vantagens, segundo o estudo “Treinamento e reabilitação em hipertensão pulmonar”, publicado na revista Heart Failure Clinics.

No entanto, os pesquisadores enfatizam que os pacientes com hipertensão pulmonar devem apenas se exercitar sob a orientação de especialistas em HAP e reabilitação.

Um número crescente de estudos tem argumentado que o exercício regular é benéfico para pacientes com hipertensão pulmonar. Muitos estudos sugerem que o exercício reduz os sintomas da doença, melhora as capacidades físicas dos pacientes e tem um efeito positivo na sua qualidade de vida.

Com base nos resultados positivos de vários estudos, tanto a Sociedade Europeia de Cardiologia como a Sociedade Europeia de Respiração recomendam exercício supervisionado e reabilitação respiratória como adjuvante de medicação para pacientes com HAP.

Pacientes com hipertensão pulmonar devem ser extremamente cuidadosos e consultar seus médicos para encontrar um programa de treinamento sensato e seguro, uma vez que um excesso de esforço físico pode causar exaustão, insuficiência cardíaca direita ou mesmo morte súbita cardíaca.

Nesta revisão, os pesquisadores resumem os resultados de vários ensaios clínicos que avaliam o impacto clínico do exercício e diferentes abordagens de treinamento em HAP e analisam os possíveis mecanismos por trás dos benefícios do exercício e futuras questões de pesquisa.

No primeiro ensaio clínico randomizado e controlado, o programa de treinamento melhorou a capacidade física de pacientes com hipertensão pulmonar, medida com a distância de 6 minutos a pé (6mWD). Aqueles que se exercitaram puderam caminhar longas distâncias, uma média de 96 metros a mais, após 15 semanas de treinamento, em comparação ao grupo controle.

O exercício também melhorou os escores de qualidade de vida, a carga de trabalho e o consumo máximo de oxigênio, a taxa máxima de consumo de oxigênio medida durante o exercício cada vez mais intenso. Estes resultados foram apoiados por um ensaio de fase 2 (NCT00678821), que mostra uma melhoria de 14% no 6MWD no grupo que realiza treinamento físico.

Outros ensaios clínicos e estudos observacionais indicam benefícios similares, além de mostrar que pacientes com hipertensão pulmonar em condições físicas mais precárias são os mais propensos a se beneficiar do exercício.

Outros estudos mostraram melhora no nível geral de atividade, eficiência respiratória e pulso máximo de oxigênio: consumo de oxigênio por batimento cardíaco durante o exercício.

A força dos músculos dos membros e dos músculos respiratórios, que geralmente enfraquecem nos pacientes com HAP, também parece melhorar após o exercício regular. Um programa de treinamento muscular de 12 semanas e quadríceps (coxa) aumentou a força muscular em 13% e a resistência em 34% em pacientes com hipertensão arterial pulmonar idiopática.

Um pequeno estudo em que os pacientes receberam treinamento no hospital mostrou que o exercício melhorou a força dos músculos respiratórios dos pacientes; e uma análise conjunta de vários estudos reforça as evidências do impacto positivo do exercício na função muscular dos pacientes.

Resultados preliminares também indicam que o exercício melhora as medidas do fluxo sanguíneo (hemodinâmica). Um estudo relata que após 15 semanas, a resistência vascular pulmonar média e o índice cardíaco melhoraram até 15 a 20% com o exercício.

Os benefícios físicos do exercício também parecem trazer mudanças positivas na qualidade de vida dos pacientes com hipertensão pulmonar. Uma análise conjunta descobriu que o exercício leva a melhorias significativas no funcionamento físico, desempenho do papel físico, saúde geral, funcionamento social e desempenho emocional.

Embora nenhum estudo tenha abordado especificamente os efeitos do exercício na sobrevida e progressão do paciente com HAP, muitos estudos relacionados sugerem uma boa taxa de sobrevivência, entre 80 e 100%, para pacientes que se exercitam durante um período de acompanhamento de até 3 anos.

Em geral, observou-se que o exercício beneficia a capacidade física, a qualidade de vida, a hemodinâmica e, possivelmente, a progressão da doença e a sobrevida em pacientes com hipertensão pulmonar. Isso também pode implicar uma redução nos custos de atendimento médico para esses pacientes.

Apesar disso, “ainda há falta de conhecimento sobre a melhor metodologia, os efeitos sobre o coração direito… e os mecanismos subjacentes do treinamento físico em pacientes com HAP“, escreveram os pesquisadores.

A maioria dos programas de treinamento comprovados inclui ciclismo estacionário ou exercícios em esteira combinados com aumento de força ou treinamento de força.

Mas, devido aos altos riscos de atividade física para pacientes com hipertensão pulmonar, as diretrizes atuais recomendam que o exercício só seja realizado “em centros especializados que incluam especialistas da HAP e especialistas em reabilitação com experiência em treinamento de exercícios para pacientes gravemente envolvidos.”, Segundo os autores, que acrescentaram que “o ambiente hospitalar é compatível com a maioria dos dados e oferece várias vantagens”.

Os possíveis mecanismos subjacentes aos efeitos do exercício incluem a maior eficiência do uso de oxigênio pelos músculos, o que aumenta sua força; melhorias no fluxo sanguíneo pulmonar; e uma redução na inflamação.

No entanto, os pesquisadores concluíram que “maiores, multicêntricos ensaios clínicos randomizados são necessários para confirmar e ampliar o conhecimento sobre a reabilitação em pacientes com HAP“.

Tradução de Pulmonary Hypertension News

×
Visit Us On TwitterVisit Us On FacebookVisit Us On Instagram